08

JUL

A importância real da Medicina do Trabalho
A importância real da Medicina do Trabalho

A Medicina do Trabalho lida com as relações entre a saúde dos trabalhadores e suas atividades, visando não somente a prevenção das doenças e dos acidentes de trabalho.

Ela é também é responsável por se preocupar com a prevenção das doenças no exercício profissional e controles dos riscos ambientais e está diretamente ligada a normas reguladas pelo Ministério do Trabalho e Emprego. Isso faz delas obrigatórias para as empresas.

Essas normas devem garantir que o trabalhador possa realizar o seu trabalho sem que a sua saúde esteja em risco e a sua qualidade de vida não seja prejudicada.

Hoje em dia as empresas estão mais conscientizadas a respeito disso!

A área de Medicina do Trabalho vem sendo bastante procurada pelos profissionais de medicina, que veem nela uma excelente oportunidade de crescimento profissional.

O campo de atuação do médico do Trabalho ultrapassa o âmbito mais “tradicional” da medicina. Ele precisa ter noções amplas de outras áreas, como Clínica Médica e Saúde Pública, por exemplo. Assim, ele pode realizar programas de prevenção ou encontrar diagnósticos mais precisos.

É fundamental para o médico do Trabalho contar com o auxílio de outros profissionais, como Engenheiros de Segurança do Trabalho, Técnicos em Segurança do Trabalho, fonoaudiologistas, fisioterapeutas, por exemplo.

As empresas já enxergam a Medicina do Trabalho como parceira!

Garantindo aos empregados todos os recursos da medicina ocupacional, o responsável pela Segurança do Trabalho garante também a qualidade do trabalho e ainda evita problemas legais. As penas são sérias e mesmo as mais leves costumam vir acompanhadas de multas pesadíssimas.

As complicações jurídicas oriundas da justiça trabalhista podem causar danos às empresas!

Muitas pessoas acham que a Medicina do Trabalho é responsável apenas por exames de admissão e demissão de funcionários, mas não é verdade, já que exames periódicos são obrigatórios.

A fiscalização é pesada, garantindo que a empresa esteja sempre cumprindo as normas. Então se você acha que bastam exames de admissão e demissão para garantir a saúde dos seus funcionários, já começou errado!

A Medicina do Trabalho auxilia na segurança do trabalhador e na prevenção de acidentes, além de fiscalizar as empresas;

A preocupação com a saúde e segurança do trabalho não é recente. Na verdade, ela já começou na época da Revolução Industrial, no século XIX, onde não havia segurança nas fábricas, as jornadas dos funcionários eram longas e exaustivas e os donos das indústrias não tinham as melhores condutas. Por conta disso, começaram a surgir doenças relacionadas ao trabalho.

O governo inglês então nomeou o primeiro médico do trabalho em 1834. Sua função era cuidar da saúde dos trabalhadores e que as práticas preventivas fossem aplicadas.

Em 1978 surgiu uma legislação mais clara (porém não tão clara como deveria), com a promulgação das normas regulamentadoras que colocavam para as empresas algumas obrigações relacionadas à saúde. Só em 1994 tivemos algo mais rigoroso, com o surgimento do modelo de normas utilizadas atualmente.

E quais são as funções do Médico do Trabalho?

O médico do trabalho pode atuar nas seguintes áreas:

  • Rede pública, tanto no desenvolvimento de ações para o trabalhador como na prática em serviços de saúde.
  • Em pesquisas investigativas no campo, com o objetivo de compreender as atuais relações entre saúde e trabalho.
  • Em empresas, como empregado de Serviços Especializados de Engenharia de Segurança e de Medicina do Trabalho.
  • Em órgãos de normalização e fiscalização. Normalmente o profissional é ligado ao Ministério do Trabalho e Emprego, fazendo uma função de avaliação das condições de Saúde e Segurança no Trabalho (SST).
  • Em perícia Médica da Previdência Social, por meio da atividade de seguradora do Acidente do Trabalho (SAT).
  • Em assessoria a sindicatos e organizações de trabalhadores e empregadores diversas.
  • Consultoria privada para o campo.
  • Na formação e capacitação de profissionais, dentro de um corpo docente.
  • Como perito judicial em processos trabalhistas, ações cíveis e ações da promotoria pública junto ao Sistema Judiciário.

Ele deve ter um certificado de residência médica (ou um documento equivalente) que comprove que ele atuou na área, e que seja reconhecido pela Comissão Nacional da Residência Médica do Ministério da Educação.

A função do Médico do Trabalho é realizar uma integração entre a exigência das atividades profissionais da sociedade e o impacto delas na saúde dos trabalhadores.

É interessante notar que o médico que realiza essa tarefa precisa conhecer também as atividades dos funcionários!

Dessa forma ele será capaz de criar medidas preventivas e panoramas sobre futuros problemas.

O trabalho também envolve a conscientização do trabalhador, que precisa estar atento às suas atividades profissionais.

As competências mínimas que um Médico do Trabalho deve ter são:

  • Saber conhecer as ferramentas e métodos para esclarecer o diagnóstico e para criar de condutas médicas adequadas. Além disso, deve atuar dentro dos procedimentos legais e previdenciários.
  • Saber reconhecer sintomas e fontes de exposição de diferentes funções exercidas por colaboradores.
  • Conseguir um histórico da exposição ambiental/ocupacional do trabalhador.
  • Realizar exames exigidos pela legislação, histórico médico e ocupacional, avaliação clínica e laboratorial, cumprimento das demandas profissiográficas e da lei.
  • Saber diagnosticar e tratar as doenças e acidentes do trabalho e promover a reabilitação física e mental do trabalhador.
  • Realizar atenção médica de emergência, mesmo em casos não relacionados ao trabalho.
  • Criar medidas educativas e de conscientização dos empregadores e empregados.
  • Saber identificar os fatores de risco dentro do ambiente de trabalho.
  • Saber identificar as medidas para a prevenção e controle dos fatores de risco.
  • Identificar e alertar o potencial tóxico de risco para a saúde de produtos químicos usados pelas empresas.
  • Saber interpretar normas técnicas e regulamentos legais para entender como cumpri-los adequadamente. Deve, ainda, colaborar para a melhoria dessas normas.
  • Ajudar a implementar programas para reabilitação de trabalhadores que são dependentes químicos.
  • Ajudar na inspeção e avaliação das condições de trabalho, tendo em vista a prevenção de danos à saúde.
  • Criar meios para situações de desastres ou acidentes graves.
  • Saber extrair e gerenciar informações estatísticas e epidemiológicas sobre mortalidade, morbidade e incapacidade para o trabalho. Isso servirá à vigilância da saúde e ao planejamento de meios para programas de saúde.
  • Criar atividades que promovam a saúde e relacionam fatores de risco no trabalho.

Qais são os exames realizados na Medicina do Trabalho que empresas precisam fazer?

Exames admissionais e demissionais, feitos na contratação e desligamento do funcionário, respectivamente e que servem para demonstrar como era a saúde do funcionário quando entrou na empresa e quando saiu.

Os exames admissionais e demissionais são obrigatórios para qualquer funcionário que seja registrado na carteira de trabalho.

Para cumprir com as normas, o trabalhador deverá ter um Atestado de Saúde Ocupacional (ASO).

Exames periódicos, que servem para avaliar o estado de saúde dos funcionários e indicar as precauções que devem ser tomadas para evitar acidentes.

Não são todas as empresas que realizam os exames periódicos, porque acreditam que eles não são obrigatórios!

Assim, eles acabam expondo os trabalhadores a riscos, que podem acabar gerando multas para a empresa.

A obrigatoriedade da realização dos exames médicos está regulamentada pela Portaria nº 3214, de 8 de junho de 1978.

O exames periódicos podem ser bienaisanuais ou semestrais:

Os exames bienais são feitos por colaboradores com idade entre 18 e 45 anos, e que atuam em uma função em que não estão sujeitos a riscos.

Os exames anuais são feitos para avaliar a condição de saúde de colaboradores que estão expostos a fatores de risco, portadores de doenças crônicas (para avaliar o agravamento ou surgimento de doenças ocupacionais) e daqueles que possuem menos de 18 anos ou mais de 45. Nos casos dos portadores de doenças é preciso um acompanhamento periódico.

Os exames semestrais servem para acompanhar o estado da saúde do colaborador, através de monitoramentos biológicos. A normatização dessas regras é feita pelo PCMSO.

E aí? Entendeu a importância da Medicina do Trabalho para a sua empresa?

Se você trabalha em plataformas de petróleo, sabe que existem diversos riscos para os funcionários e, com a Medicina do Trabalho aliada a você, tudo vai ficar bem!

A Medicina do Trabalho vem para te ajudar a se proteger, tanto dos acidentes que podem acontecer com você quanto de uma possível contaminação por materiais radioativos TENORM.

A radiação – e em especial a radiação ionizante – acarreta diversos efeitos biológicos aos indivíduos expostos a ela de acordo com a dose e a forma de resposta. Por isso, a melhor forma de evitar os efeitos estocásticos e determinísticos da radiação ionizante no ambiente de trabalho é através de um Serviço de Radioproteção bem preparado.

Caso sua empresa ache muito dispendioso implementar um Serviço de Radioproteção, também é possível contratar empresas especializadas para cuidar da proteção radiológica.

 

 

Fonte: ProteçãoNaPrática