28

SET

4 erros financeiros que podem acabar com seu orçamento
4 erros financeiros que podem acabar com seu orçamento

Você já teve aquela estranha sensação de chegar ao final do mês e não saber pra onde foi o seu dinheiro? Acredite, você não está sozinho! Para isso não voltar a se repetir, reunimos uma lista com 4 erros financeiros que você precisa ficar atento, pois podem ser a ovelha negra do seu orçamento. Vamos lhe mostrar que como abandoná-los vai fazer você multiplicar o seu dinheiro e melhorar as suas finanças!

 

1. Salário? Nunca vi, nem ouvi, eu só ouço falar

Um hábito muito ruim e bastante comum é o descontrole financeiro e ele começa com o desconhecimento de quanto se ganha e quanto se gasta por mês. Muitas pessoas tem mais de uma fonte de renda e se perdem nas contas. Outras usam indevidamente o cheque especial e o rotativo do cartão de crédito como renda adicional. As empregados com carteira assinada também tem o hábito de se lembrar da renda bruta (aquela antes dos descontos em folha) quando pensam em quanto ganham. O certo é considerar o valor líquido, depois de tudo o que é preciso pagar (FGTS, INSS, etc).

Além dos ganhos, outro grande furo no orçamento é não saber os gastos mensais. Devido à correria do dia a dia, perdeu-se o hábito de anotar e conferir o valor de contas de energia, telefonia e cartões de crédito, e eles podem ser os grandes vilões do orçamento familiar. Para evitar este descontrole é preciso anotar e controlar todos os ganhos e gastos, por meio de uma planilha feita por você mesmo ou em um aplicativo.

2. #SouRyca: gastos por impulso

Gastos por impulso representam vilões dos maus hábitos financeiros. Estes tipos de gastos geralmente estão associados a algum tipo de frustração ou situações extremas, como tristeza ou felicidade, ou seja, busca-se descontar ou recompensar algo em uma compra. Isso também pode acontecer se no controle do dinheiro você está sendo muito rígido, cortando todos o lazer e pequenos prazeres. Quando for gastar, a tendência é exagerar e estourar o planejado.

O pior de tudo é que muitas vezes o item comprado acaba nem sendo usado. E como resolver isso? Novamente, o controle é a chave! Alguns truques:

Espere 24 horas: antes de comprar algo dê 24 horas pra você respirar. Se no dia seguinte você ainda quiser ou julgar necessário comprar aquilo, tudo bem. Mas muitas vezes vai ver que a necessidade era só um desejo mesmo.

Evite andar com o cartão de crédito: compras com dinheiro costumam dar margem para você negociar preços além de evitar que você acumule um monte de pequenas parcelas que no fim causam um grande rombo na fatura.

Diminua o seu limite de compras: pode parecer uma situação drástica, mas em alguns casos é necessário para ajudar a reduzir estes impulsos e ajudar no controle financeiro.

Tenha uma quantia para o lazer: reserva um porcentual da sua renda para “investir em você mesmo”, com diversão e prazer. Costuma-se recomendar que no máximo essa quantia some 35% do salário. 

3. ‘Entrando numa fria”: rotativo do cartão de crédito

Falando em cartão de crédito, você já deve ter notado que ele é um dos grandes maus hábitos financeiros e compromete o planejamento do orçamento. Isso ocorre porque a taxa de juros deste meio de pagamento no Brasil é uma das mais altas do mundo. Quando alguém compra no cartão de crédito e deixa de pagar o valor inteiro da fatura, utilizando o que conhecemos como rotativo, acaba entrando em uma grande bola de neve. Com o passar do tempo, os juros e multa podem inclusive somar mais do que o valor da compra inicial. 

Mas, e o que você pode fazer para evitar isso? Além de evitar as compras por impulso e o uso indiscriminado do cartão, é preciso utilizá-lo de forma inteligente. Antes de fazer uma compra parcelada confira se o valor não será acrescido de juros ou verifique se não há desconto para pagamentos à vista. O uso da tecnologia também pode ajudar nesta questão. Com um app financeiro você pode acompanhar quantas parcelas tem a vencer e saber exatamente quanto do seu orçamento já está comprometido com o cartão. 

Caso você precise de algo, que tal planejar a compra e poupar o dinheiro de forma programada mensalmente a adquirir este bem ou serviço à vista? Esta é outra opção que pode lhe ajudar a evitar a tentação do crédito fácil e evitar de uma vez por todas o rotativo do cartão de crédito.

4. Miopia: falta de planejamento do futuro

Não planejar o futuro ainda é um dos maus hábitos financeiros dos brasileiros. Não existe uma hora ideal para se começar a pensar no futuro, mas quanto mais cedo, melhor e mais fácil será.

Outra dica importante, assim como no seu orçamento do dia a dia, é envolver a família. Defina metas, compartilhe sonhos e mostre a todos os benefícios não só de economizar, mas de pensar na segurança em momentos futuros de sua vida. Você pode começar com pequenas quantidades mensais e instigar todos os seus familiares a participarem. Compartilhando as metas e conscientizando toda a família o processo fica mais fácil, prazeroso e faz sentido para todos. Mostre que usar o dinheiro de forma racional e inteligente é pensar no bem de todos.

Quem nunca? É normal ter cometido um (ou mais de um) deslize desses mencionados no post de hoje. O importante agora é começar a identificar onde você está errando e parar com essa atitude negativa pro seu bolso.

 

Fonte: GuiaBolso